Bahia perde quase 40 milhões da alimentação escolar da educação integral

A Undime (União dos Dirigentes Municipais de Educação) encomendou um estudo junto G & Q, Gestão e Qualidade Consultores Ltda, com sede em Fortaleza no Ceará com o objetivo de avaliar o número de estudantes matriculados e atendidos nas classes de educação integral. De posse dos dados, a empresa identificou que em todo estado da Bahia, as perdas chegam há quase 40 milhões de reais, levando-se em consideração as escolas das redes municipais e da rede estadual. Nesta terça-feira (10), o Presidente da Undime Seccional Bahia, Williams Panfile Brandão, Dirigente Municipal de Educação de Elísio Medrado, realizou duas reuniões estratégicas para falar sobre o estudo. Pela manhã, o Professor Williams esteve com o Secretário da Educação de Estado, Valter Pinheiro, juntamente com os demais profissionais relacionados a educação integral, censo escolar e procuradoria. Já a tarde, ele se reuniu com o Presidente da UPB – União dos Prefeitos da Bahia, Eures Ribeiro, Prefeito de Bom Jesus da Lapa. Nesta sexta-feira (13) acontece um novo momento entre a Undime e a UPB, para definir uma data para reunião com prefeitos e Dirigentes Municipais de Educação dos municípios que estão tendo perdas financeiras para que o profissional da empresa contratada possa falar sobre os procedimentos usados no estudo. A Undime protocolou um ofício, direcionado a Karine Silva dos Santos, Coordenadora-Geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar no Ministério da Educação, solicitando a revisão dos valores previstos para o PNAE em 2018.

>>>>> Confira o ofício e a lista dos municípios afetados na Bahia


Comentários

Os comentários estão fechados.