Foto : Arquivo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve anunciar a prorrogação do auxílio emergencial, depois do carnaval. O retorno dos pagamentos deve  começar a vigorar em março. A nova rodada seria de três parcelas de R$ 200 mas deve atingir apenas metade dos trabalhadores que foram atendidos no ano passado, segundo previsão do plano que está em estudo.


Presidente Jair Bolsonaro/Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta segunda-feira (8), que deve prorrogar o auxílio emergencial para famílias afetadas pela pandemia do coronavírus. Em entrevista à TV Bandeirantes, o presidente disse, porém, que o número de pessoas beneficiadas será menor do que em relação ao ano passado. Ele não explicou que critério será utilizado para estabelecer uma linha de corte.


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

As tarifas residenciais de energia deverão ter um aumento médio de 14,5% em 2021, segundo levantamento feito pela TR Soluções, empresa de tecnologia aplicada ao setor elétrico, por meio do Serviço para Estimativa de Tarifas de Energia (SETE). A pesquisa considera dados de todas as 53 distribuidoras do país, além de sete permissionárias. 


O governo pretende propor um novo auxílio emergencial destinado a trabalhadores informais que não são atendidos pelo Bolsa Família. O benefício pagaria três parcelas de R$ 200. A informação é do jornal Folha de S. Paulo. A proposta tem um nome diferente: Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), e novas exigências. Para receber a assistência, a pessoa terá que participar de um curso de qualificação profissional, além de ser associado à Carteira Verde e Amarela – programa do governo que deve voltar para reduzir encargos trabalhistas e incentivar a formalização de pessoas de baixa renda.


Foto: reprodução/Canal Rural

Um levantamento feito pelo G1 revela que as prefeituras de oito das 26 capitais lançaram uma versão municipal do Auxílio Emergencial, com o pagamento de dinheiro para pessoas afetadas pela pandemia. Atualmente, o benefício continua sendo pago aos inscritos em Manaus e Salvador, mas o programa já foi encerrado nas outras seis cidades. Além das oito capitais que criaram o auxílio temporário, outras três chegaram a discutir a instituição do benefício, mas o programa não saiu do papel.


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os valores das contribuições previdenciárias de quem trabalha por conta própria ou decide contribuir com o INSS mesmo sem ter um trabalho formal mudam neste mês. Com o reajuste do salário mínimo, autônomos, facultativos e MEIs (Microempreendedores Individuais) terão que contribuir mais para a Previdência Social.

Veja quais são os novos valores por categoria:

Contribuinte individual

Os contribuintes individuais são os autônomos, ou seja, profissionais que trabalham por conta própria. As opções de contribuição são:


Foto: Marcos Correa/Presidência da República

O Portal da Transparência do governo federal, meio pelo qual a administração presta contas dos gastos públicos, saiu do ar na noite dessa terça-feira, 26, e permanecia sem acesso até o início da manhã desta quarta-feira, 27. Mas já estava no ar por volta das 8h30, horário de publicação desta matéria. O portal se tornou inacessível após os gastos do Executivo com alimentos – incluindo os R$ 15 milhões pagos em leite condensado – virarem centro do debate público.