Foto: © Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Leitor de tela, redação em braile e correção especial das provas de participantes autistas e surdocegos são algumas das novidades do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 em termos de acessibilidade. As medidas somam-se a outras que vêm sendo adotadas pelo exame ao longo do anos, como videoprova em Língua brasileira de Sinais (Libras) e provas com textos e imagens ampliados. Ao todo, segundo o Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), cerca de 47 mil participantes com alguma deficiência ou transtorno fizeram a inscrição no Enem 2020 e solicitaram atendimento especializado. 


Foto: Reprodução/ Vídeo – WhatsApp

Nesta quinta-feira, dia 21, os professores da rede municipal de educação de Santo Antônio de Jesus (BA) foram surpreendidos por uma nota emitida pelo sindicato da categoria, APLB, onde dizia que após reunião com o gestor municipal, secretária de educação e procurador do município, o sindicato fora comunicado que o decreto que altera a carga horária de 98 professores da rede municipal de 20 para 40 horas seria revogado.

“A categoria recebeu essa notícia impactante com muita tristeza, pois são anos de luta, sem valorização e as vagas reais existem no município”, disse uma professora.

Na tarde dessa quinta (21), a categoria se reuniu com a secretária de educação, Renilda Barreto, no Centro Cultural, para ter maiores esclarecimentos devido a demora da convocação. Na ocasião a secretária reafirmou que o decreto será revogado devido a lei de responsabilidade fiscal e por impactos financeiros.

A categoria compareceu com uma advogada e deixou claro que irá lutar por seus direitos adquiridos. Também estiveram presentes representantes da APLB e o vereador Uberdan Cardoso. Após a reunião os professores realizaram um protesto de indignação em frente a prefeitura.

Matéria: Jocinere Soares/ Tribuna do Recôncavo


Imagem Ilustrativa

Estão abertas seleções de duas Especializações voltadas para quem atua ou deseja atuar na Gestão de instituições públicas ou privadas. Com as inscrições prorrogadas até o dia 31 de janeiro, interessados podem se candidatar para os cursos de Especializações em Gestão Pública Municipal ou Gestão em Saúde. Poderão se inscrever, para ambos os cursos,  profissionais com vínculo atual (efetivo ou temporário) nas instituições públicas ou privadas localizadas, prioritariamente, nos municípios integrantes da região do Sudoeste Baiano, informados nos respectivos Editais  178/2020 e 179/2020.


Os selecionados terão até o dia 27 de janeiro para comprovar as informações prestadas na inscrição. O resultado da segunda chamada será divulgado em 1º de fevereiro. A lista está disponível no site. Neste ano, o programa oferece bolsas para 13.117 cursos em 1.031 instituições de ensino, localizadas em todos os estados e no Distrito Federal. Só para cursos na modalidade de educação a distância, a oferta é de 52.839 bolsas. No total, mais de 162 mil bolsas estão sendo ofertadas nesta edição do Prouni.


Foto: Divulgação

Os estudantes que não puderem comparecer ao segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por estarem com Covid-19 já podem pedir para participar da reaplicação das provas. Responsável pela realização do Enem, o Instituto Anísio Teixeira (Inep) abriu o prazo para os pedidos de reaplicação até 12h do próximo sábado (23/1). A reaplicação do exame ocorrerá em 23 e 24 de fevereiro. Para solicitar a participação, os participantes devem entrar em contato com o Inep pela Página do Participante, ou pelo telefone 0800-616161. Já os participantes que apresentaram sintomas ou diagnóstico de covid-19 às vésperas do primeiro dia de prova, aplicada ontem (17), poderão apresentar exames e laudos médicos que comprovem a condição. A Página do Participante receberá os pedidos de reaplicação entre 25 e 29 de janeiro. Nesta edição, o Enem bateu recorde de abstenção com a ausência de mais de 50% dos inscritos. Ao todo, 2.842.332 participantes não compareceram ao exame – 51,5% do total de inscritos.


Imagem Ilustrativa

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou a questão do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste domingo (17) que abordou a desigualdade de gênero com um texto sobre a diferença salarial entre os jogadores de futebol Neymar e Marta, eleita seis vezes pela Fifa a melhor jogadora do mundo. Pressionado por causa do fracasso do governo no enfrentamento à pandemia de Covid-19, Bolsonaro direcionou sua conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, nesta segunda-feira (18), a temas que agradam a sua base ideológica.


O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, ocorrido neste domingo (17), registrou um novo recorde de abstenção no concurso. O índice de candidatos inscritos ausentes ficou em 51,5%. Ou seja, mais da metade não compareceu na primeira etapa. A maior taxa de abstenção anteriormente registrada foi em 2009, com 23% no primeiro dia e 37,7% no total, segundo o Ministério da Educação. Apesar da quantidade de faltosos, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, considerou a realização da prova “algo vitorioso”. Ele acredita que a alta porcentagem ocorreu por conta da “dureza e medo da contaminação”, mas também por causa de “um trabalho de mídia contrário ao Enem muito grande”.


Foto: Reprodução

Na tarde de hoje, 17 de janeiro, primeiro dia do Enem 2020 os inscritos produziram a redação, cujo tema foi “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. Os estudantes precisaram elaborar o texto em até 30 linhas e desenvolvê-lo no tipo dissertativo-argumentativo. A redação do Enem tem um formato específico, no qual é apresentada uma questão-problema, no caso o estigma da doença mental, e textos motivadores para ajudar o participante a refletir sobre o assunto. Ao longo da redação, os inscritos precisam apresentar uma proposta de intervenção, ou seja, uma solução viável de ser aplicada para resolver a questão-problema. 

Para Milton Costa, professor do curso Pré-vestibular Oficina do Estudante, o tema da redação do Enem 2020 foi importante, pertinente, dentro da realidade brasileira, e dentro do padrão esperado para o exame educacional. 

“Foi uma questão-problema que demanda respostas, que demanda saídas, as mais diversas para serem resolvidas. Neste caso, os estudantes deveriam propor caminhos para vencer o estigma que persegue os vários brasileiros que têm alguma doença mental e que, infelizmente, têm a vida bastante complicada por conta desse estigma”.

A coordenadora de redação do curso Poliedro, Maria Catarina Bózio, reforça ainda que o tema da redação do Enem 2020 permitiu que os estudantes colocassem em discussão aspectos que estiveram em alta ao longo de todo o ano passado, tais como a volta de alguns tratamentos como eletrochoque e internação em manicômios como um certo reforço de políticas públicas aos discursos capacitistas e mesmo de estigmatização. 


Aplicativo de Celular ENEM 2019

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) manteve hoje (14) a decisão da Justiça Federal de SP de negar o adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontecem no próximo domingo (17) e no seguinte (24). Na decisão da Justiça de SP, a juíza Marisa Claudia Gonçalvez Cucil, afirma que caso uma cidade tenha elevado risco de contágio que justifique medidas severas de restrição de circulação, caberá às autoridades locais impedirem a realização da prova. No Amazonas, a Justiça Federal suspendeu a realização das provas no estado em decorrência do alto número de casos de coronavírus registrados. A prefeitura da Manaus já havia decidido não liberar as escolas municipais para a realização do exame. (Metro1)


Candidatos inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que estejam acometidos de covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas podem solicitar a reaplicação das provas. O Enem será aplicado nos próximos dias 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). Já a reaplicação do exame está marcada para os dias 23 e 24 de fevereiro. Quem estiver doente deve comunicar a condição, antes da realização das provas, acessando a Página do Participante na internet.


Agência Brasil

Responsável por organizar a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiu que, este ano, o acesso aos locais de prova será liberado mais cedo que de costume. A medida visa a evitar aglomerações e a consequente disseminação do novo coronavírus. Em uma nota divulgada nesta segunda-feira, 11, o instituto informou que os portões dos locais de aplicação dos testes serão abertos as 11h30 (horário de Brasília), e fechados as 13 horas – meia-hora antes do início das provas.

Mais de 5,783 milhões de candidatos se inscreveram para participar do exame. As provas estão agendadas para 17 e 24 de janeiro (versão impressa), e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). As datas, no entanto, estão sendo questionadas judicialmente por órgãos públicos e entidades que apontam o risco de candidatos e funcionários contraírem a covid-19 devido à reunião de pessoas em locais fechados.

Na sexta, 8, a Defensoria Pública da União (DPU) recorreu à Justiça Federal para tentar adiar a realização do exame. No mesmo dia, a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) acionaram o Ministério Público Federal (MPF) com o mesmo propósito. Além disso, 50 entidades científicas divulgaram uma nota conjunta em que apontam a “necessidade urgente” de que a realização das provas do Enem sejam adiadas “para outro momento no qual os índices de transmissão e a capacidade de resposta dos serviços de saúde estejam dentro de níveis aceitáveis”.

Entre as organizações signatárias estão a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC); a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco); a Associação de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) e a Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn).

Em resposta às críticas, o Ministério da Educação afirmou que regras específicas foram estabelecidas para reduzir as aglomerações nos locais de prova e, assim, garantir a segurança dos candidatos e funcionários que participarão do exame. Os principais procedimentos de segurança estão detalhados em dois editais publicados pelo Inep, o nº 54 e o nº 55 cuja observância é obrigatória.