O INMET – Instituto Nacional e Meteorologia emitiu alerta meteorológico para quase todo o estado da Bahia e alerta para a possibilidade de formação de um ciclone tropical no fim de semana no litoral baiano, o fenômeno poderá ser ocasionado por um sistema de baixa pressão atmosférica de forte intensidade no litoral sul do estado e norte do Espirito Santo, a previsão é que a formação ocorra entre os dias 23 e 24 de março. O aviso de POTENCIAL PERIGO foi emitido as 11h55min desta quinta-feira (21) e vai até as 8h desta sexta-feira (22). ”Chuva entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, ventos intensos (40-60 Km/h). Baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.” diz o comunicado. (Mídia Bahia)


Estudantes de Igrapiúna que estudam em Valença denunciam a suspensão do transporte intermunicipal fornecido pela Prefeitura de Igrapiúna, no baixo sul da Bahia. A responsável pelo serviço é a Secretaria Municipal de Educação (Semed). Estudantes de institutos federais e faculdades utilizam o transporte. A suspensão do transporte ocorreu desde a segunda-feira (18) e mais de 60 alunos estão faltando às aulas. “Alguns estão pagando, de acordo com as atividades que tem no dia na escola. Não podemos pagar todos os dias a passagem, pois muitos não trabalham”, afirmou a estudante do Instituto Federal Baiano, Alessandra Santos. Erica Batista, estudante do ensino superior, informou que atividades e trabalhos foram passados e não puderam ser entregues, o que ocasiona em perdas de notas. 


Desde as 4h desta quinta-feira (21), as fortes chuvas estão causando transtornos aos cidadãos de Santo Antônio de Jesus. Diversos pontos de alagamento foram registrados por transeuntes, como na Rua Antônio Fraga, a Avenida Luiz Argolo próximo ao Cemitério Municipal, e também na Rua Landulfo Alves, dificultando o tráfego de veículos. Segundo informações, o dia permanecerá nublado, com chuva a qualquer hora. (Voz da Bahia)


-

Sensibilizar a população e ampliar a doação de medulas ósseas, é com esse foco que a campanha Março Laranja: ‘Conscientização sobre a importância da doação de medula óssea’,  através voluntários da ONG Enaultinho Rocha estará em Santo Antônio de Jesus nos dias 22 e 23 de março.  Ana Nogueira, popular Tia Adriana, uma das voluntárias da ONG, em entrevista à nossa equipe de redação avisou que dia 22 a atividade terá concentração no HRSAJ (Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus) onde as pessoas poderão fazer o cadastro para se tornarem possíveis doadores, “já no dia 23 as atividades serão realizadas na Praça Padre Matheus onde acontecerá a panfletagem e palestras esclarecendo dúvidas sobre todo o processo de doação”, disse.


Foto: Pixabay

Turistas dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália não precisarão mais de visto para entrada no Brasil. O decreto do presidente Jair Bolsonaro foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União nesta segunda-feira (18). Segundo informações, a medida entra em vigor a partir do dia 17 de junho. A decisão define que os turistas dos quatro países poderão permanecer no Brasil por um prazo de 90 dias, prorrogável por igual período, desde que não ultrapasse 180 dias em um ano. O decreto é assinado também pelos ministros Sergio Moro (Justiça), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Marcelo Henrique Teixeira Dias (Turismo). [Notícia em atualização]
(Noticias ao Minuto)


Brincadeira das crianças, a “espuma de Carnaval” pode ser proibida em Salvador. Isso porque o vereador Joceval Rodrigues (PPS) propôs um Projeto de Lei que coloca fim no comércio e no uso do brinquedo. “Preocupado com a questão da Segurança e Saúde Pública e visando a garantia da Defesa do Consumidor […] Este projeto tem por escopo evitar qualquer tipo de risco a saúde da população”, disse o legislador na sua justificativa. Ainda segundo o edil, estudos apontaram que “as espumas podem causar irritação e sensibilização a pele e membranas das mucosas humanas, irritação inicial no globo ocular, e em alguns casos essa irritação pode progredir para uma conjuntivite alérgica, com possibilidade  de gerar até uma lesão córnea”. Para ele, “além de causarem sérios problemas à saúde humana, são desagregadoras durante os dias de Carnaval e em dias de festas, pois acabam ocasionando brigas e até mortes”. (Bahia Notícias)


-
                                                          Foto: Imagens Públicas

Na noite desta terça-feira (12), um homem (não identificado por medidas de segurança) teve seu veículo tomado em um assalto na região do Oiteiro, próximo ao Cruzeiro de Laje. Segundo informações, o carro Fiat Uno prata, com placa policial JSW 3178 foi levado pelos acusados que fugiram seguindo destino ignorado. A vítima prestou queixa na delegacia de Laje, contudo, o mesmo solicita para aqueles que tem informações sobre o veículo, que informem a polícia local. A Polícia Civil investiga o caso. (Voz da Bahia)


Ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda morre aos 74 anos no Rio de Janeiro

Foto: Paulo Fernandes / Vasco.com.br

O ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda, morreu aos 74 anos, num hospital na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (12). Ele lutava contra um câncer no cérebro. Atualmente, o ex-mandatário ocupava o cargo de presidente do Conselho de Beneméritos do clube. Nos últimos meses, o estado de saúde de Eurico piorou e ele tinha dificuldades para se alimentar. O ex-cartola foi levado ao hospital na manhã desta terça de ambulância. Antes do tumor no cérebro, Eurico superou um câncer na bexiga e outro no pulmão. Nos últimos meses, ele já andava de cadeira de rodas e, recentemente, passou a se tratar em casa, com idas frequentes ao médico. Eurico presidiu o Vasco em dois períodos. O primeiro foi entre 2003 e 2008, depois em 2015 a 2017. Entre 1990 e 2002 foi vice-presidente do Cruz-Maltino, participando da época das maiores conquistas do clube que foram o Brasileirão de 1997, a Copa Libertadores em 1998, a Copa João Havelange em 2000 e no mesmo ano a Copa Mercosul. (Bahia Noticia)


-Foto: Divulgação

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta segunda-feira (11), a relação dos candidatos participantes da lista de espera. A lista será disponibilizada para consulta pelas instituições de ensino superior. Todos os candidatos participantes da lista terão de comparecer às instituições nas quais estão pleiteando uma vaga, para apresentar a documentação que comprove as informações prestadas na inscrição. O prazo para que isso seja feito é 12 a 13 de março. A lista de espera será usada pelas próprias instituições, que irão convocar candidatos para o preenchimento das bolsas remanescentes. Os estudantes que não garantiram uma bolsa de estudos puderam manifestar interesse em participar da lista na semana passada, até sexta-feira (8).


O prefeito ACM Neto, em coletiva realizada nesta quarta-feira (6), afirmou que, se não fosse pela atuação da Prefeitura, “esse ano nem poderia ter tido Campo Grande”. A declaração do prefeito foi diante do questionamento sobre ações para evitar o esvaziamento do Circuito Osmar no Carnaval. Neto afirmou que o esvaziamento do circuito é um “processo que vem acontecendo ao longo dos últimos anos, não apenas de 2019”. Ele lembrou que a “quase a totalidade dos desfiles aconteceram com trios sem corda, com folião pipoca”. “O que pode ser feito pela Prefeitura está sendo feito, que é investir e colocar atrações para colocar conteúdo aqui. Fora isso, eu não tenho que fazer. Tem coisas que no Carnaval que a gente não manipula, não controla. Eu não posso impor ao artista que ele desfile aqui. Eu não posso impor ao bloco ou trio, que ele saia aqui. Eu muito menos posso impor ao folião que ele venha para o Campo Grande. O que está sob a nossa possibilidade de gestão é assegurar a contratação de artistas para cá”, afirmou. O gestor destacou que no circuito teve a pipoca de Saulo, de Léo Santana, de Psirico, La Fúria, Daniela Mercury, Claudia Leitte e Paragonlé. Ele reforçou que não tem uma “fórmula mágica para propor” a solução para evitar o esvaziamento do Campo Grande. (BN)


Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

A Mangueira é a campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2019. A escola contou neste ano “a história que a história não conta”, sobre personagens importantes do país que não são retratados nos livros: índios, negros e pobres. A Mangueira é a segunda maior vencedora do Carnaval do Rio, com 19 conquistas, atrás apenas da Portela. A última delas havia sido em 2016, com o enredo sobre Maria Bethânia, do mesmo carnavalesco deste ano, Leandro Vieira. Foi difícil ver alguém sentado no sambódromo da Sapucaí durante a passagem da Mangueira no penúltimo desfile desta segunda (5). Foi fácil, porém, ver choro e olhos marejados ao som do refrão repetido em coro durante a cerca de uma hora de desfile. Comuns também foram as manifestações em broches e placas relembrando Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada há quase um ano. A última ala levou à avenida homens e mulheres favelados que superaram o preconceito e alcançaram notoriedade, tendo à frente a viúva de Marielle, Mônica Benício. Antes do desfile, ela disse à Folha que aceitou o convite não para celebrar, mas por um ato político. Atrás deles, vinham bandeirões com o rosto da parlamentar e de outros símbolos negros, como os sambistas Noel Rosa e Candeia, nas cores da escola, verde e rosa. Ao final, o deputado federal Marcelo Freixo e o vereador do Rio Tarcísio Motta (PSOL) carregavam junto a membros da escola um bandeirão com os dizeres “Índios, negros e pobres”. A Mangueira desfilou caricaturas do que chamou de “heróis emoldurados”. Na comissão de frente, aristocratas andavam de joelhos, diminuídos ao lado de índios. Mais à frente, Pedro Álvares Cabral foi retratado como “171”, com roupa de presidiário. Em outra ala, D. Pedro 1º surgiu em cima do cavalo, como eternizado no quadro “Brado do Ipiranga”, e depois jocoso, num burro. O Marechal Deodoro da Fonseca, que assumiu a República mas era monarquista, apareceu com o símbolo da república no peito e uma coroa na cabeça. Entre os personagens que a escola homenageou estão Cunhambebe, chefe indígena que comandou índios tamoios contra colonizadores portugueses no século 16, e Luísa Mahin, africana vendida no Brasil que articulou revoltas de escravos no século 19. Um carro trouxe “o sangue retinto por trás do herói emoldurado”, com uma versão do Monumento às Bandeiras manchado de vermelho. Outro recriou o quilombo dos Palmares, com o presidente de honra da escola, o músico Nelson Sargento, representando o líder Zumbi. Em uma das alegorias que retratavam a luta negra, porém, a maioria das desfilantes eram brancas. Em compensação, em um carro que trazia os dizeres “Ditadura assassina” e livros gigantes com imagens de Princesa Isabel, Duque de Caxias e outros, todas as empurradores eram mulheres negras -normalmente são homens. A Mangueira, que ficou em quinto lugar no ano passado mas já era um dos desfiles mais aguardados neste ano, saiu da avenida muito aplaudida, aos gritos de “é campeão”. (BN)