A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) divulgou, nesta quinta-feira (26), a lista dos candidatos aprovados na 4ª chamada nos cursos de graduação da instituição, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para ingresso em 2020. A relação dos candidatos pode ser conferida no site da universidade. Os candidatos deverão encaminhar a documentação para DAA, por e-mail (matricula.daa@uefs.br). Posteriormente será informado o prazo para a apresentação dos originais e a data da homologação. A lista de documentos necessários e outras informações podem ser conferidas no edital divulgado pela instituição. O Sisu utiliza as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para disponibilizar vagas em instituições públicas de ensino. (G1)


O presidente Jair Bolsonaro disse na noite desta quinta-feira que o auxílio oferecido a trabalhadores informais atingidos pela crise do coronavírus será de R$ 600. O valor é o triplo do inicialmente anunciado pela equipe econômica e também é superior ao que estava sendo negociado por parlamentares. Segundo Bolsonaro, o aumento foi negociado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o deputado Vitor Hugo (PSL-GO), líder do governo na Câmara, onde o projeto é analisado.


Foto: Divulgação Internacional Travessias Salvador (ITS)

Para garantir a segurança dos usuários e trabalhadores do sistema Ferry-Boat, em face à pandemia de coronavírus, as embarcações que fazem a travessia Salvador/Bom Despacho estão sendo higienizadas diariamente. De acordo com a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), o processo de higienização é feito no intervalo entre a viagens das 14h às 18h. A limpeza é feita em todas as embarcações que estão na operação do dia. Há também um trabalho intenso de limpeza nas áreas dos terminais, onde há circulação de pessoas, a exemplo dos salões, baias e áreas internas. No momento, a movimentação no sistema é tranquila, sem filas nem aglomerações.


Resultado de imagem para vilas-boas secretário de Saúde da Bahia

Foto: Reprodução

Após o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (relembre aqui), o secretário de Saúde da Bahia entende que não se ‘deve politizar o problema’ da pandemia do novo coronavírus. “Já temos problemas demais pra gerir. Não podemos cometer esse erro. Vamos continuar fazendo nosso trabalho”, disse ao Bahia Notícias. “Pelo presidente seja a do Ministério da Saúde, que tem se conduzido tecnicamente. Mas essa fala atrapalha não só o ministro mas todos nós”, avaliou. O secretário diz saber que iremos enfrentar uma grave recessão econômica, mas “o que nos cabe lidar diretamente é a crise sanitária”. “Vamos seguir tocando nossas vidas com decisões baseadas em evidências científicas seguindo exemplos bem sucedidos ao redor do mundo”, completou Fábio. Vilas-Boas pediu a benção de Deus e destinou para “cada um de nós que pouco temos dormido”. (Voz da Bahia)


Em pronunciamento em rede nacional de televisão e rádio exibido na noite de ontem (24), o presidente da República, Jair Bolsonaro, pediu a reabertura do comércio e das escolas e o fim do “confinamento em massa”. A declaração do presidente vai de encontro à recomendação da Organização Mundial de Saúde, que defende que o isolamento social tem sido a ação mais eficaz até o momento para diminuir a transmissão do novo coronavírus. Medidas como o fechamento de comércio e escolas têm sido utilizadas em todo o mundo. No Brasil, as iniciativas são adotadas por determinação dos governos estaduais e municipais. A Covid-19 já deixou 46 mortos no país e 16.231 no mundo. Durante o pronunciamento de Bolsonaro, houve panelaço em todas as regiões do país, inclusive em Salvador.


O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, chamou o distanciamento social decretado por governos estaduais e municipais para conter o avanço do novo coronavírus de “a maior imbecilidade da história da humanidade” no seu Twitter, na noite desta segunda (23). No tweet, Camargo comenta uma postagem de Jair Bolsonaro (sem partido). Nela, o presidente se opõe ao que chama de “medidas extremas sem planejamento e racionalidade” no combate à pandemia. O presidente da Fundação Palmares então pede que o confinamento seja imediatamente suspenso e limitado aos que pertencem ao grupo de risco, isto é, pessoas com mais de 60 anos, com doenças crônicas e transplantados. “Ao trabalho, brasileiros!”, conclui Camargo. A medida de isolamento social da população é uma das mais recomendadas pelos especialistas para conter a disseminação da doença até a criação de uma vacina. É ela que vem guiando a ação de uma série de governos no país e internacionalmente. (Politica Livre)


Morador de rua tenta se proteger do frio no Viaduto Santa Generosa, zona sul de São Paulo, na manhã deste sábado, 6 Foto: Bruno Rocha / Fotoarena/Estadão Conteúdo

Com muitas pessoas em quarentena e a cidade vazia, restam nas ruas de São Paulo os desabrigados, que só podem voltar ao albergue à noite e passam o dia perambulando pelas calçadas ou à procura de um ganha pão. O morador de rua Maycon, de 34 anos, ganha a vida vendendo água, pano, distribuindo panfleto no farol ou montando palco em dia de grandes eventos. Mas tudo parou após a pandemia do novo coronavírus. “Pessoal está com medo de chamar para bico. Antes do coronavírus, vinham até o albergue buscar a gente para trabalhar. Até os que pagavam 50 reais para eu trabalhar 10 horas por dia carregando peso não estão vindo mais”, conta ele, que agora depende exclusivamente de doações e do Bolsa Família para sobreviver. “A coisa está feia até para o pedinte, porque as pessoas estão com medo de se aproximar. Está difícil viver nesse caos”, completa.


Foto: Reprodução/Petrobras, Exame

A Petrobras anunciou que vai reduzir em 15% o preço da gasolina em suas refinarias a partir desta quarta-feira, dia 25. Em relação ao óleo diesel, não haverá alteração. A decisão da estatal vem na esteira da forte desvalorização que o petróleo vem apresentando no mercado internacional. No início do ano, ele era negociado a US$ 66,36. Na última segunda, fechou a 27,59. No ano, a desvalorização da commodity é de 58,7%. Com a queda do preço, petroleiras já avaliam reduzir projetos. De acordo com a consultoria Wood Mackenzie, elas irão cortar em cerca de 30% os investimentos em exploração e produção da commodity neste ano, estimados em US$ 75 bilhões. Este cenário de perdas no preço do petróleo é reflexo da pandemia de coronavírus e seus efeitos na economia.


A Bahia registra 76 pacientes confirmados com coronavírus (Covid-19), 725 casos descartados e não há óbitos. Este número contabiliza todos os casos de janeiro até às 11 horas desta terça-feira (24). Todos os casos novos foram importados ou de transmissão local. Os municípios com casos positivos são estes: Alagoinhas (1); Barreiras (1); Brumado (1); Camaçari (1); Conceição do Jacuipe (1); Conde (1 – paciente reside em Campinas, em São Paulo); Feira de Santana (6); Itabuna (1); Jequié (1); Juazeiro (2); Lauro de Freitas (3); Porto Seguro (8); Prado (2); Salvador (46, sendo três pacientes residentes em localidades fora da Bahia); e Teixeira de Freitas (1). Ressalta-se que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.


O governador Rui Costa (PT) falou sobre o crescimento dos casos de coronavírus no Brasil e alertou a população para o prazo de continuidade da pandemia. Em coletiva, na manhã desta terça-feira (24), o petista explicou que o governo estadual está tentando “esticar a curva” dos casos do Covid-19, na Bahia. “Não é uma crise de duas semanas, nem de três, nem de quatro. Essa situação vai durar na melhor das hipóteses, 60 dias. E não adianta torcer para ser menos, porque se for menos, nós vamos viver um desastre. Na verdade, o que nos estamos fazendo é esticar a curva, ou seja, reduzir o número de casos, diluir isso ao longo do tempo, para ter volumes pequenos de pessoas procurando os serviços de saúde. Mas quanto mais você estica, mais você aumenta o tempo disso”, afirmou. (Bahia Notícias)


Para tentar abastecer as prateleiras na mesma frequência em que cresce a procura, duas fábricas de Atibaia e Piracaia aumentaram – e muito – a produção de álcool em gel. Uma das principais formas de higienização das mãos na prevenção ao coronavírus (Covid-19), o produto teve um salto na produção: em uma das empresas, a quantidade antes produzida em um mês, passou a ser feita em um dia. Em Atibaia, uma empresa de cosméticos deixou toda a produção exclusiva para álcool em gel e passou a produzir em um dia 1,5 mil galões, de 5 litros cada, e mais de 1 mil garrafas de 2 litros. Oito funcionários também foram contratados para atender a alta demanda.


Foto: Reprodução/Paulo Guedes

Na linha de frente como gestor das operações para mitigar os efeitos da pandemia de coronavírus na economia, o ministro Paulo Guedes, de 70 anos, decidiu se resguardar. Apesar de ter testado negativo para a doença, por precaução, está despachando remotamente, de sua residência, no Rio de Janeiro. O Ministério da Economia afirmou, nesta segunda-feira, 23, que, pelo fato de Guedes fazer parte do grupo de risco de complicações caso contraia a doença, as agendas foram remarcadas e serão realizadas por videoconferência.