Foto: Reprodução/Tedros Ghebreyesus – Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Já passados seis meses do início da crise do coronavírus, com mais de 100 dias de isolamento social no Brasil, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o mundo está ainda distante de ver o final da pandemia e que a atual crise política, falta de unidade nacional e divisão global estão aprofundando o caos. “A dura realidade é que não está nem perto de acabar”, afirmou Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. Segundo ele, se o mundo continuar dividido e não houver união nacional, “o pior está ainda por vir”.


Foto: Reprodução/Brasil 247

Uma gigantesca mancha opaca encobre há dias parte do Oceano Atlântico. Nas imagens capturadas por satélites, uma nuvem marrom que vai da África até o Caribe cobre os tradicionais azul e branco vistos por satélite. Esse é um sinal inequívoco de que uma nuvem de ar do Saara — uma massa de ar muito seco e com poeira do deserto africano — se move em direção às Américas. Alguns especialistas chamam ela de “nuvem de poeira Godzilla”. Se trata de um fenômeno recorrente a cada ano, mas que parece ter se intensificado em 2020.


Moradores do município de Tuchín, distrito de Cordoba, Colômbia, que descumprem as medidas restritiva impostas pela prefeitura no combate a Covid-19 estão sendo punidas de maneira inusitada.Aqueles que infringem as recomendações estão sendo presos ao pé em praça pública. Segundo o prefeito da cidade de 35 mil habitantes, Aléxis Salgado, a punição tem origem povo indígena Zenú, naturais da região.


Foto: Mark Mitchell/Pool/AFP

Nova Zelândia, Islândia e Japão conseguiram o que parece impossível a países como Brasil ou Estados Unidos: contiveram a epidemia do novo coronavírus. Não apenas achataram a curva de contágio, mas a esmagaram por completo. Que lições tais países tem a nos ensinar?

Na Nova Zelândia, o último caso foi confirmado há dez dias. Há, segundo o Wall Street Journal, apenas um ativo, uma mulher diagnosticada em 1º de maio. Na Islândia, apenas dois haviam sido registrados até a metade de maio. No Japão, o número de casos diários caiu a 0,5 por 100 mil habitantes, atingindo a meta que permitiu ao governo suspender o estado de emergência no último dia 25, uma semana antes do prazo.


O grupo de hackers Anonymous Brasil divulgou dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), na noite desta segunda-feira, 1º. A publicação foi feita na rede social Twitter, por meio de links que direcionavam para os documentos. Entre os dados que foram compartilhados, estão os supostos CPFs de Bolsonaro e de seus filhos, além de telefones, endereços e propriedades da família do presidente. Outros alvos foram os ministros da Educação, Abraham Weintraub; e da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.


De acordo com o levantamento da universidade americana Johns Hopkins, o mundo já ultrapassa a marca dos 6 milhões de pessoas infectadas com o novo coronavírus. O número de casos confirmados oficialmente foi divulgado no site da instituição através de um mapa interativo. Até às 7h25 o mundo registrada ao menos 6.185.523 casos confirmados de coronavírus em 188 países. Os EUA regista o maior número de casos, com 1.790.191 infectados, seguido do Brasil , com 514.849, e a Rússia com mais de a 400 mil. No mapa mostra também número de casos de morte no mundo, com 372.377. Os Estados Unidos aparecem com a maior quantidade de mortes, seguido da Reino Unido e da Itália. No ranking o Brasil, também, aparecem no 4º lugar com quase 30 mil mortos.

Confira:


Foto: CBN News

O testemunho de Jim Woodford é um dos mais impressionantes que alguém pode tomar conhecimento quando o assunto é experiência de quase morte, ou, no caso dele, morte literal, já que ele afirma ter passado 11 horas no céu, visto Jesus e retornado à vida. O testemunho de Jim rendeu a publicação de um livro chamado “O céu, uma jornada inesperada: a experiência de um homem com o céu, os anjos e a vida após a morte”, ainda não disponível na língua portuguesa.


Assim como outras instituições, cientistas da Universidade de Nova York (NYU), da farmacêutica multinacional Pfizer Inc. e da alemã BioNTech estão tentando descobrir uma vacina para o coronavírus. Segundo a Pfizer, ela pode ficar pronta já em setembro deste ano, se tudo der certo. Os testes com humanos começaram na última semana. Em entrevista à emissora americana NBC, a líder da pesquisa na farmacêutica, Kathrin Jansen, afirmou que a vacina carrega o código genético do vírus (RNA) e tenta reprogramar o patógeno mortal da covid-19, em vez de manipulá-la. “É provavelmente o jeito mais rápido de conseguir uma vacina para parar a pandemia”, disse Jansen.


Três vídeos oficiais de Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) foram divulgados pelo governo dos Estados Unidos após anos em sigilo, causando enlouquecimento nos internautas que sempre especularam a existência de outros seres ainda desconhecidos pela grande maioria das pessoas. Nas filmagens, que foram gravadas com câmeras de infravermelho, pilotos da Marinha dos Estados Unidos perseguem o objeto que não tinha asas, motores ou sinais de propulsão. Em um dos vídeos, os oficiais que observam o fenômeno parecem assustados com a rapidez do OVNI que estava a milhares de pés acima da Terra.


Kim Jong Un – Supremo Líder da Coreia do Norte

O regime da Coreia do Norte afirmou no último domingo (12) que o país não registra nenhum caso da Covid-19. Essa informação também foi confirmada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O órgão afirma que centenas de pessoas testaram positivo para a doença. No entanto, já não há mais vestígios da covid-19 no país. “Adotamos medidas preventivas e científicas como inspeções e quarentenas para todas as pessoas que chegavam ao país, desinfetamos os produtos, fechamos as fronteiras e bloqueamos todas as rotas marítimas e aéreas”, afirmou Pak Myong Su, diretor do departamento de epidemias da Coreia do Norte. Por se tratar de um regime autoritário e sem garantia de liberdade de expressão, é difícil saber o que ocorre no país. A pandemia já atingiu 180 países e o mundo tem mais de 1,8 milhão de casos confirmados e 113 mil mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. BN