O ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou nesta terça (02) que não há perseguição a jornalista e evitou confirmar a informação de que a Polícia Federal estaria investigando as atividades financeiras do jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil. O site O Antagonista noticiou nesta terça que a PF pediu ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), vinculado ao Ministério da Fazenda, informações sobre Greenwald. O Intercept tem publicado reportagens sobre mensagens atribuídas a Moro e à força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. “A questão da investigação está com a Polícia Federal. Não há qualquer perseguição a jornalista e qualquer questionamento a esse respeito tem que ser feito à PF. Respeitamos a liberdade de imprensa”, disse o ministro, ao ser questionado, em audiência na Câmara dos Deputados, sobre o suposto pedido da PF ao Coaf.


Foto: Câmara dos Deputados

Marcelo Ramos (PL-AM), presidente da comissão especial da reforma da Previdência, convocou uma reunião para hoje (03) com coordenadores das bancadas partidárias no colegiado para definir os próximos passos da tramitação da proposta, um dia depois do relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentar seu voto complementar deixando servidores estaduais e municipais de fora do texto. Devido à reunião, não há previsão de sessão na comissão especial. Ramos informou que será a partir do que decidirem os coordenadores que será anunciado o calendário de votações da proposta e ressaltou que, se houver acordo, pode chamar sessão da comissão ainda para esta quarta.


Reprodução: Reuters

O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (18), por 47 votos a 28, o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que pede a suspensão dos decretos do presidente Jair Bolsonaro que facilitaram o porte de armas. Com a decisão, o texto seguirá para análise da Câmara dos Deputados. As regras previstas nos decretos continuarão valendo até que a Câmara vote o tema e, eventualmente, aprove a suspensão dos decretos. O direito ao porte é a autorização para transportar a arma fora de casa. É diferente da posse, que só permite manter a arma dentro de casa.


-

Foto: Blog do Anderson

Um homem foi preso, em Vitória da Conquista, depois de apertar a bunda de uma mulher que passava pelo centro da cidade, no início da noite dessa terça-feira (11). A vítima foi assediada pelo suspeito nas imediações do cruzamento das Avenidas Siqueira Campos e João Pessoa. Segundo informações da imprensa local, quando o crime ocorreu, a 77ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Leste) foi acionada e deteve o homem. O suspeito, cuja identidade não foi revelada, foi levado para o Plantão Central da Polícia Civil, no Distrito Integrado de Segurança Pública, e autuado em flagrante por importunação sexual. De acordo com outras informações, ele será encaminhado para o Conjunto Penal do município. (BN)


Rui Costa. Foto: Paulo Henrique Carvalho/Agência Brasília

A reforma da previdência acalorou o clima da quinta reunião do Fórum de Governadores, nesta terça-feira (11), em Brasília. O governador Rui Costa se colocou à disposição do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, presente no encontro, no sentido de construir um acordo com os deputados para o avanço da votação, desde que sejam retirados do projeto enviado pelo governo Bolsonaro temas já explicitados pelo Consórcio de Governadores do Nordeste.

Rui enfatizou que o texto atual não é bom para a Bahia e, se for mantido, defende que o estado seja excluído da reforma. ”Com este texto que está aí eu fico contra, porque é prejuízo para a Bahia e com isso eu não posso concordar”, manifestou o governador baiano.


-

Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (04) que os gastos dos estados com pessoal são excessivos e que, se tudo continuar como está, “em muito pouco tempo vai faltar dinheiro para saúde, educação e saneamento”. A reforma da Previdência inclui os estados e municípios, responsáveis por um rombo previdenciário de cerca de R$ 96 bilhões por ano. Apesar disso, uma parte dos deputados defende a retirada deles do projeto. Mas Guedes voltou a defender a reforma como ela está, afirmando que “não é uma reforma que a gente goste de fazer, é que não há alternativa”. (Metro 1)


-

Foto: Reprodução/Diário de Pernambuco

Servidores públicos da Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte poderão ficar de fora da reforma da Previdência, caso a Câmara dos Deputados aprove uma emenda para que as medidas tenham efeito imediato somente para estados mais endividados. Os três estados são comandados pela oposição ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e têm a situação fiscal mais sólida que as demais unidades da federação, desta a Folha de S. Paulo. De acordo com a publicação, a sugestão para tal exclusão foi elaborada por especialistas em Previdência e apresentada a técnicos do governo e ao relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), que passou a ter forte preferência pela emenda. Assim, a reforma teria validade para São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Goiás, os estados da região Sul, Acre e Alagoas. De acordo com a publicação, o critério para a linha de corte prevê que as novas regras para aposentadorias de servidores tenham efeito imediato quando a dívida consolidada estadual for igual ou superior a 70% em relação à receita corrente líquida, apurada no ano de 2017. (bahia.ba)


, Alexandre Frota quer saída de Eduardo Bolsonaro da presidência do PSL em São Paulo

Os deputados federais Alexandre Frota e Nicolino Bozzella Júnior, ambos do PSL de São Paulo, entraram com pedido junto à direção do partido para que um dos filhos do presidente Jair Boslonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) saia da presidência da legenda no estado. Eles alegam que Eduardo se ausentou de sucessivas reuniões partidárias, o que iria contra o estatuto da legenda. “O partido precisa fazer o dever de casa se quiser se tornar um partido grande”, disse Frota ao Estadão. A posse de Eduardo Bolsonaro como líder do PSL foi anunciada no último dia 1º, em substituição ao senador Major Olimpio. A assessoria de Eduardo Bolsonaro informou que ele está em lua de mel, após ter se casado no último sábado, e que não iria comentar o pedido. (Metro1)