O número de casos suspeitos de infecção por coronavírus no Brasil caiu para três, informou o Ministério da Saúde. Segundo o balanço mais recente da pasta, divulgado às 12h neste domingo (16), dois pacientes em São Paulo e um no Rio Grande do Sul estão sendo monitorados. O número de suspeitas descartadas subiu para 45. O total não mudou em relação ao boletim de sábado(15). De sexta-feira (14) para sábado, um caso no Paraná e outro no Rio Grande do Sul foram descartados. No entanto, um caso começou a ser investigado em São Paulo, resultando no total de três suspeitas em todo o país.

Principais sintomas do coronavírus
Entre os 45 casos descartados, o estado de São Paulo lidera, com 20 pacientes analisados. Em seguida, vêm Rio Grande do Sul, com nove suspeitas, Rio de Janeiro (5), Santa Catarina (4), Paraná (3), Minas Gerais (2), Distrito Federal (1) e Ceará (1).


Imagem Ilustrativa/google imagens

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que uma vacina contra o novo coronavírus detetado na China deve demorar cerca de um ano e meio a ser desenvolvida. “A primeira vacina poderá estar pronta em 18 meses. Agora temos de nos preparar para usar as armas que temos ao nosso alcance para lutar contra este vírus”, declarou o diretor-geral da OMS numa conferência de imprensa em Genebra. Tedros Adhanom Ghebreyesus adiantou ainda aos jornalistas que o diretor executivo da OMS para as Emergências em Saúde, Michael Ryan, vai liderar a partir de hoje um gabinete de crise para coordenar a resposta contra a epidemia pelo atual coronavírus, que provoca uma doença hoje oficialmente designada Covid-2019.


Imagem Ilustrativa/laboratório

Subiu para 1.016 o número de mortes em decorrência do novo coronavírus na China. Somente nesta segunda-feira (10) foram registradas 108 mortes. O número de infecções confirmadas chegou a 42.638, segundo divulgado pelo governo chinês.

Nesta terça-feira (11) a China pediu que as indústrias ligadas à economia nacional voltassem a produzir, após a suspensão das atividades por conta do feriado de ano novo, que foi prolongado em uma tentativa de conter o coronavírus. A suspeita é que o vírus tenha surgido em um mercado que vende animais silvestres em Wuhan, epicentro do vírus.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, sete casos suspeitos seguem sendo investigados. Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul com um caso cada; três em São Paulo. Varela Notícias


Imagem Ilustrativa

Nos últimos dias, o noticiário internacional foi tomado por um assunto de caráter urgente: o surgimento de um novo e misterioso vírus na China capaz de causar pneumonia forte e até levar a morte. Saiba de onde o coronavírus veio, como ele circula e quais são os outros tipos de coronavírus capazes de infectar os humanos. ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO:

Por Maria Clara Rossini – Superinteressante

O número confirmado de mortes pela epidemia de um novo coronavírus subiu para 427. Nesta segunda-feira, 3, foi confirmada a primeira morte pelo novo coronavírus no território semi-autônomo de Hong Kong. Esta morte em Hong Kong é a segunda fora da China continental. No fim de semana, as Filipinas registraram a 1ª morte fora do país. Em toda a China, já são 426 mortes e mais de 20,4 mil casos confirmados da doença. A província de Hubei concentra a maior parte das mortes e casos de infecção. (ATarde)


O número de mortes registradas na China em decorrência do novo coronavírus 2019 n-CoV chegou a 212. A informação foi divulgada pela GloboNews na noite desta quinta-feira (30). O número de casos confirmados no mundo na tarde desta quinta era de 7.818, de acordo com o Ministério da Saúde brasileiro, que divulgou informações da Organização Mundial da Saúde (OMS) em coletiva na sede do órgão. Na China o número de casos confirmados era de 7.736 até então. Quanto aos casos graves o total era de 1.370. Também na tarde desta quinta, a OMS declarou que os casos são uma emergência de saúde pública de interesse internacional (lembre aqui). As duas notificações feitas pela Bahia ao Ministério da Saúde foram descartadas como suspeitos de coronavírus por não apresentaram os requisitos para serem enquadrados como suspeitas. O país contabilizou até o meio dia desta quinta 9 casos suspeitos e 43 notificações. (Bahia Notícias)


Agência Brasil

O Brasil registrou nove casos suspeitos de coronavírus, no período de 18 a 29 de janeiro, em seis estados: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Ceará. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (29), durante coletiva de imprensa do Ministério da Saúde, em Brasília. Ao todo, o Ministério da Saúde recebeu 33 notificações, mas apenas nove foram consideradas suspeitas. Os pacientes estão passando por exames, realizados na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, por enquanto, não haverá bloqueio de passageiros da China nos aeroportos brasileiros. (Agência Brasil)


Imagem Ilustrativa / HBH

Um grupo de pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Itália, coordenado por um professor brasileiro, desenvolveu um composto com ação potente e seletiva contra o câncer de ovário. O estudo realizado com o novo composto à base de paládio – metal raro de alto valor comercial – demonstrou sua eficácia contra células de tumor de ovário sem afetar o tecido saudável.

Além disso, testes em células tumorais indicaram que o composto age contra tumores resistentes ao tratamento mais utilizado atualmente no combate ao câncer de ovário, que é feito com um fármaco chamado cisplatina.


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está usando aparelhos auditivos nos dois ouvidos, há duas semanas, segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo. Ainda de acordo com a publicação, alguns dias depois de deixar a prisão, em novembro do ano passado, o petista foi ao médico e passou por exames que mostraram uma perda auditiva. O equipamento é quase imperceptível, segundo relatos de pessoas que o encontraram nos últimos dias. Bahia.ba


Imagem Ilustrativa / Superfabulosa

A ideia generalizada é de que quando se está tomando medicação, sobretudo algum tipo de antibiótico, a ingestão de álcool pode anular o efeito do comprimido – mas, será que é mesmo assim? De acordo com informações do hospital português Lusíadas não é de fato verdade que o consumo de álcool impacta no efeito dos antibióticos, nem anula a sua ação terapêutica.

No entanto, o hospital alerta que sim o álcool pode de algum modo reduzir o período de tempo que o antibiótico permanece no organismo e na corrente sanguínea em níveis considerados eficazes para combater vírus ou doenças para que foi prescrito. 

Por outras palavras as bebidas alcoólicas podem “diminuir a semivida da substância, através do aumento da diurese (aumento da produção de urina), uma vez que o álcool inibe o hormônio antidiurético”.


Imagem Ilustrativa / sescmg.com

O governo federal começou a entrega aos estados de 1,7 milhão de doses de vacina pentavalente, que estava em falta em diversas regiões brasileiras. A nossa equipe de redação, a Secretaria de Saúde da Bahia afirmou ter recebido 60 mil unidades. Em julho do ano passado, a Anvisa recolheu lotes da imunização porque foram reprovados no controle de qualidade. Desde outubro, quase todo o país estava carente de doses da vacina. O Ministério da Saúde comprou o produto de outra empresa e já na semana passada enviou mais de 800 mil doses. Até o fim desta semana serão entregues outras 900 mil. É dever, então, do Governo do Estado repassar ao municípios. (Metro1)


O Ministério da Saúde reservou R$ 250 milhões a mais para aumentar o número de cirurgias eletivas a serem realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Na Bahia, serão quase R$18 milhões a mais disponibilizados para esse tipo de cirurgia. De acordo com informações, os repasses vão começar a ser feitos ainda em janeiro e a intenção do Ministério da Saúde é zerar as filas para 53 tipos de procedimentos, como oftalmológicos – catarata e doenças da retina – além de cirurgia para correção de hérnias e retirada da vesícula biliar.

Dados registrados no sistema de informação do SUS mostram que ao longo de 2018 foram realizadas 2,4 milhões de cirurgias eletivas em todo país. Até outubro de 2019, foram 2 milhões de procedimentos realizados em todos os estados brasileiros. Os gestores estaduais, municipais e do Distrito Federal, responsáveis pela organização e a definição dos critérios que garantam o acesso do paciente aos procedimentos cirúrgicos eletivos, podem se programar para utilização os recursos de acordo com as demandas da população de cada estado. Aratu On