A moradora do Ribeirão, Isabela Rodrigues Moura está necessitando de doação de sangue, tipo O Rh Negativo. A jovem está internada em Santo Antonio de Jesus – SAJ.

Informações: (75) 9 8839-4443 ou  9 8878-5875.

Ou procurar a unidade do Hemoba de SAJ.

Os requisitos para doação de sangue são:

  • Estar em boas condições de saúde

  • Ter entre 16 e 69 anos. Pessoas acima de 60 anos só podem doar se já tiverem doado sangue alguma vez antes dessa idade

  • Pesar no mínimo 50kg

  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas)

  • Estar alimentado, por isso evite alimentos gordurosos e aguarde até 2 horas para doar

  • Apresentar documento original com foto, que permita o reconhecimento do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

  • Pessoas com menos de 18 anos precisam estar acompanhadas dos responsáveis ou com formulário de autorização. 

(Mídia Bahia)


No fim do governo Temer, o Ministério da Saúde deixou de importar um medicamento essencial para o tratamento de cinco tumores raros no Brasil. Sem aviso prévio, a responsabilidade foi passada para os hospitais oncológicos do SUS. Sem recursos para uma compra de emergência, alguns hospitais enfrentam desabastecimento do quimioterápico actinomicina-D, e ao menos 5.000 pacientes correm risco de ter a terapia interrompida. O ofício do ministério tem data de 7 de dezembro, mas, por conta das festas de fim de ano e da mudança nos governos estaduais, muitas instituições só souberam da decisão no início deste mês. “Muita gente nem recebeu o comunicado oficial, ficou sabendo pelas comunidades médicas. Mesmo que hospitais queiram comprar neste momento, tem a burocracia envolvida na importação, que pode levar seis meses”, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica, Cláudio Galvão de Castro Júnior. Ainda em dezembro, no dia 20, Vilela encaminhou um ofício ao Ministério da Saúde sugerindo que a pasta estabelecesse um cronograma de transição, mas não teve reposta nem da gestão anterior e nem da atual. “É uma situação muito preocupante, pegou todo mundo de surpresa. Isso foi feito de forma brusca unilateral, sem nenhum diálogo”, conclui.