Governo do Estado reduz repasses ao Hospital de Mutuípe

A presidente da APMIM – Associação de Proteção a Maternidade e a Infância de Mutuípe, D. Clélia Freitas, anunciou na tribuna livre da Câmara de Vereadores, o corte de repasses por meio da SESAB, para o Hospital de Mutuípe.

Segundo Freitas, o repassasse de pactuação com a SESAB girava em torno de R$ 330 mil, mas na sexta-feira (2), um novo contrato teve que ser celebrado com uma redução de aproximadamente R$ 108 mil, ficando o contrato no valor de pouco mais de R$ 200 mil.

A presidente da entidade anunciou também que diante da redução no valor, o Hospital se vê obrigado a finalizar o atendimento de ambulatório, demitir médicos e até funcionários, realidade que já deve ser percebida nesta terça-feira (06).

Diante dos fatos os vereadores se comprometeram na tentativa de reverter a situação, o vereador Júnior Cardoso (DEM), propôs convocar o secretário de saúde de Mutuípe e D. Célia, para uma reunião no prazo de dez dias, bem como uma audiência pública na assembleia Legislativa da Bahia com deputados votados e que já estão buscando votos na cidade.

O vereador Índio Josafá, líder do governo da casa, questionou do estado, se o corte teria relação com a derrota nas urnas do governo petista de Carlinhos em 2016, ou se era para arrecadar dinheiro para o caixa 2 das campanhas eleitorais vindouras.

Em 2015 o Hospital Clélia Chaves Rebouças passou por situação semelhante, na época o secretário Fabio Villas Boas, mostrou desconhecer a realidade do hospital, mas após audiência pública e reuniões, acabou por firmar o convênio no valor de 330 mil. (MB)


Comentários

Os comentários estão fechados.