Justiça proíbe o abate de jumentos no Estado; frigorífico de Amargosa pode ser paralisado

Justiça proíbe o abate de jumentos no Estado; frigorífico de Amargosa pode ser paralisado

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

A Justiça Federal concedeu na última sexta-feira (30) a decisão liminar provisória que proíbe o abatimento de jumentos na Bahia. A liminar foi concedida pela juíza Arali Maciel Duarte, da 1ª Vara Federal, em Salvador, em resposta a ação civil pública movida pela União Defensora dos Animais – Bicho Feliz, da Rede de Mobilização pela Causa Animal, do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, da SOS Animais de Rua e da Frente Nacional de Defesa dos Jumentos contra a União e o Estado da Bahia. Só em setembro deste ano foram registradas mortes de 300 animais em Itapetinga. Na mesma cidade foram encontrados ainda 750 jumentos confinados ilegalmente e em condições precárias sem comida e bebida. No final de outubro em Itororó, nove animais foram mortos e deixados em uma estrada. De acordo com a decisão publicada neste sábado (1º) no Diário Eletrônico da Justiça, os abates devem ser paralisados em 10 dias, a contar da notificação, que deve ocorrer na segunda-feira (3).  Em Itapetinga está um dos três frigoríficos do estado autorizados pelo Ministério da Agricultura a abater jumentos – os outros ficam em Amargosa e Simões Filho. A Bahia é o único estado do Brasil com frigoríficos autorizados a realizar o abate de jumentos. Segundo o Governo da Bahia, estão sendo abatidos no estado entre 300 a 400 jumentos por semana. Pela decisão, publicada neste sábado (1º) no Diário Eletrônico da Justiça, os abates devem ser paralisados em 10 dias, a contar da notificação, que deve ocorrer na segunda-feira (3). (Voz da Bahia)


Comentários

Os comentários estão fechados.