Marcius Melhem expõe mensagens e rebate: ‘Nunca agarrei a Dani Calabresa’

Foto: Reprodução/TV Globo

Em entrevista a Roberto Cabrini, no Domingo Espetacular deste domingo, 20, Marcius Melhem afirmou que nunca tentou agarrar Dani Calabresa à força e expôs mensagens de texto e áudios trocados com a humorista para defender a tese de que é alvo de vingança. Além disso, o comediante disse que temia pela própria vida até mesmo ao se encontrar com o repórter em um hotel no Rio de Janeiro, para a entrevista, no último sábado, 19. “A minha vida foi destruída”, afirmou.

“Eu nem queria sair de casa, porque estou sendo ameaçado de morte e de espancamento”, disse.

O ator e ex-diretor da Globo classificou como mentirosa uma reportagem da revista Piauí que o acusa de ter exibido o pênis e lambido o rosto de Calabresa em uma comemoração do Zorra em novembro de 2017. “Eu tenho duas filhas. Se eu tivesse feito aquela descrição do banheiro do bar, eu nem teria olhado nos olhos dela”, justificou.

“Se isso tivesse mesmo acontecido, a festa teria acabado. Imagina, uma atriz que sai chorando e é amparada por colegas. Não existiu nada, a gente brincou no palco e até aí tudo bem. Se você olhar o grupo de atores no dia seguinte, todos estão apenas comemorando. Eu e Dani trocamos mensagens. Não teve nenhum constrangimento”, acrescentou.

Melhem afirmou que sofre perseguição de Mayra Cotta, que representa um grupo de seis mulheres que o acusam de assédio sexual e moral no período em que esteve a frente do humor da Globo. “Por que uma advogada vem a público destruir uma carreira sem uma causa ou processo? Ela quis destruir o meu nome perante à opinião pública”, citou.

Durante a entrevista, o ator disse que já obteve relações consensuais com mulheres que trabalharam com ele nos bastidores da Globo. E, segundo ele, o único arrependimento é de trair a ex-mulher, Joana Rosenfeld.

“Eu nunca tive problemas em pedir desculpas, especialmente para ela. Uma pessoa incrível, a mulher que eu mais amei. Eu fui até ela e confessei todas as traições”, contou.

“Eu não cometi maldades com ninguém. Nunca fiz um ato de violência com quem quer que seja”, completou.

“O que aconteceu comigo e Dani Calabresa só falo na Justiça, porque não vou expor ninguém. Eu nunca agarrei a Dani. Essa narrativa não é nem fantasiosa, ela é falsa. Eu nunca imobilizei ninguém na vida, é essa descrição que está me causando problemas. Eu nem sei quantos braços eu tenho para agarrar, bater a cabeça de alguém na parede e abrir o zíper”, questionou.

Segundo ele, a matéria da revista Piauí é “um delírio de alguém que quer muito me prejudicar ou encorpar uma narrativa de assédio”.

Melhem questionou as 43 pessoas ouvidas pelo jornalista João Batista Jr. para a reportagem publicada na edição de dezembro da revista Piauí, pois ele estranha que nenhuma das testemunhas quis revelar a identidade, além de apontar supostos furos na linha do tempo dos acontecimentos.

O ex-diretor disse que obteve um desentendimento profissional com Calabresa em 2019, por conta do Fora de Hora. Ela teria pedido por mudança de roteiristas e que o ex-MTV Bento Ribeiro estivesse ao seu lado na bancada em vez de Paulo Vieira.

“Eu quero chegar na Justiça porque isso que Dani está fazendo comigo é vingança. Ela reclamou que o texto estava mal escrito, queria os autores dela, não queria fazer o programa com o Paulo. Ela estava tão irredutível que a gente tomou a decisão artística de tirá-la do projeto. Não foi algo pessoal, mas da casa”, avaliou.

“Não existe uma advogada que só fala na TV, no jornal. Nós já entramos com uma representação contra ela e outra para que Dani explique porque assumiu como verdade aquela reportagem que nós dois sabemos que não é”, enfatizou.

(A Tarde)


Comentários

Os comentários estão fechados.