Para enfrentar crise, prefeita e secretária de Ipiaú dispensam salário por tempo indeterminado

Depois dos gestores de Itiruçu, Itagi, Itaquara e Itagibá reduzirem os seus próprios subsídios, foi a vez da gestora da cidade de Ipiaú, no Médio Rio de Contas, Maria das Graças (PP), cortar na própria carne, ou melhor, na própria folha o salário que recebe como prefeita. Ao invés de redução, a gestora dispensou os seu salário. Acompanha a decisão de Maria das Graças, a secretária de Ação Social, Ednia da Silva Oliveira. A prefeita, de 68 anos, disse que a iniciativa faz parte de ações ”para enfrentar a crise financeira e evitar o desemprego”. Conforme os decretos, publicados no Diário Oficial do Município, o não recebimento dos salários vale por tempo indeterminado. Outras ações devem ser tomadas para enxugar a folha da prefeitura de Ipiaú. ”Estamos em um momento difícil e é preciso que o esforço seja de todos”, escreveu em uma rede social. Em Ipiaú, a remuneração para chefe do executivo gira em torno de R$ 16 mil, e para secretários, R$ 7,5 mil. (BN)


Comentários

Os comentários estão fechados.