PC prende casal acusado de agiotagem com cerca de 200 cartões do Bolsa Família em Amargosa

 

A

José Geraldo Almeida, 53 anos e Iriardes dos Santos, 30 anos, foram presos da tarde desta sexta-feira (27) na cidade de Amargosa acusados de estelionato e agiotagem. Em uma operação intitulada de ‘Essa Bolsa é Minha’, da Polícia Civil, resultou na prisão em flagrante do casal acusado da prática de crime contra a economia popular e por reter cartão de benefício para pagamento de dívida, onde ofereciam empréstimo de dinheiro com juros abusivos e retinham os cartões de banco e de bolsa família dos devedores. Segundo informações da PC, a prisão ocorreu no momento em que a duola estava fazendo um saque com cartão magnético do benefício do Bolsa Família na agência da Caixa Econômica Federal do município de Amargosa, no Vale do Jiquiriçá.  Segundo a Civil, eles já tinham realizado neste mesmo dia saques no Bradesco e Banco do Brasil e tudo foi monitorado pelos policiais civis de Amargosa. Dr. Adilson Freitas, delegado de Amargosa, informou, que  José Geraldo mantinha um escritório no bairro da Catiara, sem qualquer autorização legal, onde eram feitos os empréstimos a juros exorbitantes.

O esquema tinha como alvo principal pessoas de baixa renda, portadores de benefícios do governo (daí provém o nome da operação) e que passavam por dificuldades financeiras. José Geraldo oferecia os empréstimos a juros de pelo menos 20% ao mês e exigia das vítimas a entrega do cartão de benefício do Bolsa Família ou aposentadoria, acompanhados da senha, “a agiotagem é prática mesquinha e aproveitadora, onde pessoas abusam da fragilidade e situação de vulnerabilidade de outras pessoas,” argumentou o Delegado. Ainda segundo informações, na ação foram apreendidos mais de 200 cartões com as respectivas senhas em posse do casal, em sua maioria do programa Bolsa Família. De acordo com a PC, José Geraldo confessou que trabalha com agiotagem há mais de 10 (dez) anos, sendo que há 08 (oito) anos vive exclusivamente desta prática criminosa, a qual parece ser bastante lucrativa. Foi apreendido ainda a importância de R$ 1.254,00 em espécie que estava em poder do suspeito. A Polícia Civil pede a todos que tiveram seus cartões retidos pelos acusados, que compareçam na Delegacia de Polícia para fazer a retirada dos mesmos.

  • Mais de 200 cartões do Bolsa Família foram aprendidos com os acusados (Fotos/Polícia Civil)

Comentários

Os comentários estão fechados.