Professores municipais de Itabuna entram em greve por tempo indeterminado

Professores municipais de Itabuna entram em greve por tempo indeterminado

Os professores municipais de Itabuna, cidade do sul da Bahia, iniciaram nesta segunda-feira (3) uma greve por tempo indeterminado. A mobilização foi decretada em assembleia realizada na última quarta-feira (29). Os professores reivindicam 6,81% de reajuste para docentes de nível II e III, são contra a mudança do regime trabalhista, que é a CLT, para um regimento estatutário próprio, e exigem o pagamento de salários atrasados para professores em desvio de função. De acordo com o Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi), a greve afeta 98 escolas e 17 mil alunos na cidade. Ainda segundo o sindicato, a mudança do regime trabalhista acarretaria em perda de direitos trabalhistas. Com relação aos salários atrasados, a entidade diz que os professores em desvio de função [que por motivo de saúde estão fora da sala de aula, mas atuando em outras atividades] estão sem receber desde julho. Em nota, a Secretaria de Educação de Itabuna informou que respeita a decisão da categoria, mas que, mesmo sem aulas, as escolas permanecerão abertas, “exceto nas situações em que diretores e vice-diretores estejam sujeitos à uma condição de vulnerabilidade e de violência”. A nota ainda informa que todas as equipes de trabalho têm valorizado os diálogos, especialmente com o Simpi, e que a secretaria “não se furta dos debates, das escutas das ideias”. A secretaria ainda disse que já procedeu alguns encontros e reuniões com o Simpi e com o Conselho Municipal da Educação e que manterão o diálogo. (G1/Ba)


Comentários

Os comentários estão fechados.