Projeto do agro da BA é aprovado na ONU

O projeto ABC Cerrado, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), com apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia, obteve o reconhecimento de sua eficiência pela Organização das Nações Unidas (ONU). Diante do posicionamento mais austero de autoridades federais em relação a desmatamento e emissão de gases de efeito estufa, o projeto posiciona-se como um bom exemplo no desempenho do agro brasileiro no quesito sustentabilidade.

Um artigo elaborado pelo Senar foi um dos 66 estudos escolhidos para compor o acervo de casos de articulação de políticas públicas e privadas com potencial para alavancar investimentos, redução das desigualdades e promoção de bem-estar social.

– É uma resposta à comunidade internacional, pois mostramos que o nosso agro é sustentável – disse Cristiane Camboim, uma das autoras da publicação.

Capacitação – O ABC Cerrado capacitou perto de oito mil produtores rurais do bioma em quatro tecnologias de baixa emissão de carbono, com foco na redução das emissões de gases de efeito estufa.

Segundo maior bioma de todo o continente sul-americano, abrangendo 22% do território brasileiro, o cerrado é também um dos mais ameaçados pelo incentivo à grilagem de terras e ocupação ilegal por grupos clandestinos sem temor da força policial.

Os dois milhões de quilômetros quadrados do cerrado incluem 15 estados brasileiros, entre os quais a Bahia, onde destaca-se a biodiversidade da fauna e da flora, em meio à cobiça por grandes pastagens e monoculturas de grãos e oleaginosas.”

As Forças Armadas são instituições permanentes do Estado brasileiro e não participam nem se confundem com governos, que são passageiros, com projetos de poder.

Faturando milhões

Um contrato de licitação que envolve lotes de medicamentos vem chamando a atenção pelo montante arrecadado pela empresa paulista ABBVIE Farmacêutica Ltda.

Posicionando-se como uma biofarmacêutica global, com foco em pesquisa, a ABBVIE faturou um contrato após pregão com o governo do estado da Bahia no valor de R$ 67.084.380,00. Quase R$ 68 milhões por lotes de medicamentos.

No contrato a empresa não informa quais são os medicamentos e tampouco o período deste contrato. Mas ficou o registro no Pregão Eletrônico nº 047/2020 que são dois lotes. Para a ABBVIE, R$ 134 milhões, conforme publicado do Diário Oficial da Bahia.

Contratos na pandemia

Desde que se iniciou a pandemia, diversos contratos estão sendo firmados nos âmbitos municipais e estaduais. Sob dispensa de licitação com base na Lei Federal 13.979/2020, que reduz a burocracia, empresas podem tirar proveito da situação para superfaturar valores. Entre estes contratos há o da empresa OKEY-MED Distribuidora de Medicamentos Hosp e Odontológicos Ltda, de Itabuna. A OKEY decidiu cobrar por máscara o valor unitário de R$ 26, cujo valor global do contrato ultrapassa os R$ 15 milhões. A Fundação ABM de Pesquisa e Extensão na Área de Saúde – Fabamed não ficou para trás e vai receber, por mês, quase R$ 2 milhões para fazer gestão do Hospital Riverside, em Lauro de Freitas.  A Tarde


Comentários

Os comentários estão fechados.