Reunião debate poluição sonora nas ruas de Mutuípe

Na manhã desta quinta-feira (30), comerciantes, donos de carros de som, representantes das igrejas: Católica, Batista, Assembleia de Deus, da prefeitura, CDL, Polícia Militar e Polícia Civil, estiveram reunidos com os vereadores Didi Mocó, Gil, Ademário e Amigo na câmara de vereadores de Mutuípe. O encontro foi organizada por Didi Mocó e teve por objetivo reduzir a poluição sonora nas ruas da cidade. Em entrevista, a delegada de Mutuípe, Dr.ª Corina Lopez,  parabenizou a iniciativa e citou punições que podem ser implicadas aos abusadores: além da apreensão do equipamento, ser processado no Ministério Público e multado.

O Capitão Rodrigo Chaves destacou as críticas feitas a polícia quando acontecem apreensões e lembrou o argumento utilizado por alguns comerciantes que afirmam que a polícia está acabando com o comércio. Chaves afirmou aos presentes que o promotor, que reside na cidade, já teria sinalizado que tomará providências se nada for feito, ele disse acreditar que após a reunião as coisas já tomem outro rumo, lembrou que os paredões de som, deverão ser combatidos, pois os que utilizam cometem uma infração de trânsito e disse acreditar que a partir dos novos encontros novas decisões deverão ser tomadas com o objetivo de trazer paz e tranquilidade.

Apesar de ter sido para debater questões relacionadas à barulho, as complicações do trânsito de Mutuípe entraram em pauta, a exemplo dos cavaletes que são colocados sem nenhum tipo de autorização em frente a estabelecimentos comerciais demarcado área de estacionamento próprio. O Padre José Roberto lembrou as descargas de motocicletas que causam incômodo, principalmente aos idosos, e recebeu a informação de que ações serão realizadas para combater esse tipo de crime. Um novo encontro deve acontecer em breve, entre população, prefeitura, vereadores, ministério público, o juiz da comarca e polícia, para seguir debatendo o assunto.

Os presentes se comprometeram em diminuir a emissão sonora na cidade, bem como do aumento da fiscalização, um termo de conduta será realizado. Os donos de carros de som pretendem também criar uma associação e propor um projeto de lei proibindo que veículos sonoros de outros municípios trafeguem na cidade com som ligado sem autorização prévia. (MB)


Comentários

Os comentários estão fechados.